Arquivos mensais

março 2018

Auto destaque – Peugeot 5008

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Disponível nas cores branco, cinza, preto e Emerald Crystal, o Peugeot 5008 tem design arrebatador e requintado, mas incluindo a robustez de um autêntico SUV. Isto significa frente verticalizada, longo capô horizontal com nervuras, grade com facetas cromadas, amplas entradas de ar, linha de cintura alta, vastas proteções, rodas aro 19 diamantadas com acabamento em 2 tons, altura livre do solo ampliada e silhueta alongada, reforçada com arcos laterais e que acrescentam teto e retrovisores pretos na versão Pack. A traseira tem um charmoso acabamento cromado e, sob o vidro vertical, uma faixa horizontal preto brilhante integra as lanternas de led com as 3 ‘garras’ características da assinatura visual da marca.

Fonte: Auto destaque

Fabricantes mudam estratégias para renascer no mercado

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Seja com problemas financeiros ou de imagem, o efeito fênix é uma saída para as marcas

Recomeçar é buscar uma nova chance. Assim também encaram as fabricantes que, para aumentar as vendas ou melhorar sua imagem, promovem reviravoltas na sua estratégia.

Um caso bem-sucedido de recomeço vem da Peugeot. Há pouco mais de cinco anos, a francesa brigava por espaço entre modelos de entrada e maior volume.

Sua reestruturação começou em 2013, com o 208. De lá para cá, ela focou na sofisticação com veículos mais caros e tecnológicos, como 208 GT, o 3008 e o recém-lançado 5008.

Sua estratégia se reflete no ticket médio (valor médio de cada venda), que passou de R$ 59.990 em janeiro de 2012, para R$ 85.854 no mesmo período de 2018.

O destaque vai para o SUV médio 3008, que já acumula 412 emplacamentos nos primeiros dois meses do ano, num segmento em que a Peugeot até então estava ausente – o 3008 de geração anterior era uma minivan de alcance restrito.

A Volkswagen apostou na modernização de seus motores para recuperar seu prestígio no mercado brasileiro e deu força para a popularização do downsizing com a linha turbo TSI.

O Up! continua longe do sucesso de vendas, bem atrás dos concorrentes diretos Fiat Mobi e Renault Kwid. Mas a VW deu um jeito de faturar mais em cima deles. Até novembro de 2017, 45,7% dos Up! vendidos tinham motor TSI, segundo a Jato – e eles custam quase R$ 5 mil a mais que os 1.0 aspirados.

A aposta no Polo, ocupando um degrau intermediário entre o Gol e o Golf, também já rende frutos: em fevereiro, ele foi o VW mais vendido no país, ocupando a 4ª colocação no ranking geral de vendas.

Já a Fiat tem reduzido a idade média de sua linha, com Mobi, Toro, Argo e Cronos, que aos poucos tomam o lugar de Punto, Palio, Palio Fire e Weekend. E ao contrário do que o histórico popular da marca indicava, quem faz mais sucesso são justamente os modelos mais caros, como a Toro.

No caso da JAC, após a estreia grandiosa no Brasil, passou por problemas com o governo relacionados à sua fábrica de Camaçari (BA) e depois viu suas vendas despencarem, com a mudança no IPI.

Para tentar recuperar o prejuízo, a marca focará nos SUVs: tirou os compactos J2, J3 e J3 Turin de linha (e planeja fazer o mesmo com J5 e J6) para formar uma gama, com exceção da van T8, quase toda composta por SUVs e semelhantes, como T40, T5 e T6.

 

 

Fonte: Guia 4 Rodas

Peugeot 3008 aparece no mercado com mais segurança e tecnologia

Por | Novidades | Nenhum Comentário

A versão Griffe Pack do Peugeot 3008 traz itens voltados para a segurança

O Peugeot 3008 está mais seguro. A nova versão na linha 2019 (isso mesmo) do crossover, chamada de Griffe Pack, adiciona algumas tecnologias autônomas como complemento na oferta de equipamentos.

A primeira delas é o alerta ativo de mudança invonlutária de faixa, que esterça o volante e mantém o carro dentro das linhas. Há também o controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática, e o sistema de ponto cego ativo. Completam o pacote do Peugeot 3008 o detector de fadiga e o assistente de farol alto.

Além disso, o Peugeot 3008 Griffe Pack adiciona a pintura extra em preto brilhante no teto do veículo e nas colunas A, atraindo os consumidores pelo visual. O novo modelo da marca francesa custa R$ 154.990 – R$ 9 mil a mais que a versão de entrada. O motor é o mesmo 1.6 THP, de 165 cavalos.

 

Fonte: Car and driver Brasil

Com sete lugares, Peugeot 5008 parte de R$ 157.490

Por | Novidades | Nenhum Comentário

SUV pode ser considerado versão alongada do 3008 e é mais barato do que rivais Chevrolet Trailblazer e Toyota SW4

 

ores de cabeça com manutenção, relacionamento com o cliente e defeitos de fabricação colocaram a Peugeot em descrédito com os brasileiros. Diversos produtos de qualidade foram esnobados pelo consumidor graças a este histórico. Mas um certo SUV está ajudando a virar esta página. Com design atraente e conjunto mecânico robusto, o 3008 virou objeto de desejo assim que foi lançado, em 2017. O sucesso foi tanto que a montadora decidiu importar o 5008, modelo de sete lugares que pode ser considerado uma versão alongada do 3008, e foi lançado oficialmente nesta segunda-feira (19).

Ele chega às concessionárias em abril em por preços a partir de R$ 157.490. Esse valor é válido para a configuração Griffe. Porém, existe ainda a opção Griffe Pack, que sai por R$ 166.490. Existe desconto de R$ 2,5 mil para ambas as versões em pedidos feitos em março.

Segundo a diretora geral da Peugeot do Brasil, Ana Theresa Borsari, o 5008 é um “filho dos clientes”. “A venda dele no Brasil é consequência de muitos pedidos dos clientes e concessionários nas redes sociais. E isso veio depois do sucesso do 3008. Esperávamos vender 120 unidades por mês e chegamos a 1.250 comercializações em menos de um ano”, exaltou.

Sob o capô está o manjado motor 1.6 THP (turbo) a gasolina de 165 cv a 6.000 rpm e 24,5 kgf.m de torque máximo a 1.400 rpm. O câmbio é automático de seis velocidades. O conjunto faz da experiência ao guiar o 5008 praticamente a mesma do SUV menor. A viagem é linear e tranquila. Pouco existe de emoção, embora a transmissão permita com que você reduza até a terceira marcha em busca de maior esportividade ou simplesmente para realizar uma ultrapassagem com segurança.

Embora não tire o fôlego, o agora SUV topo de linha da Peugeot no Brasil é ligeiro quando necessário. O índice de 0 a 100 km/h, por exemplo, mostra que ele é capaz de cumprir o desafio em 10,5 segundos. A velocidade máxima é de 206 km/h.

Durante test-drive realizado com três ocupantes, o propulsor realmente mostrou-se eficiente. Muito disso por conta da distribuição de peso do SUV de 4,64 metros de comprimento. Ele tem 1.640 quilos, ou seja, pode ser considerado magrinho levando em conta o porte dele. Fica a dúvida sobre como é o comportamento com sete pessoas a bordo ou mesmo com o bagageiro de 780 litros cheio.

O utilitário-esportivo mostrou eficiência ainda em curvas de alta velocidade. A carroceria suspensa por sistema McPherson na parte frontal e semi-independente na traseira não inclina excessivamente, passando segurança para o motorista. Ponto positivo também nas frenagens, uma vez que não há um efeito mergulho, aquele que empurra os ocupantes para a frente com gosto.

O ponto negativo da rodagem, porém, é o consumo de combustível. Segundo o Inmetro, o modelo fslaz 9,5 km/l na cidade e 12,1 km/l na estrada. Por isso, um sistema start-stop é uma ausência bastante sentida.

Que nave!

Indo além de aspectos dinâmicos, é preciso destacar o apelo sensorial do 5008. A experiência é de realmente estar no comando de uma nave moderna e fashion (parte do console tem revestimento com tecido que lembra jeans). Há capricho no encaixe das peças e também nos materiais.

Os botões que gerenciam funções de ar-condicionado e sistema de entretenimento ampliam tal experiência. No entanto, às vezes é preciso apertar até três botões para realizar tarefas simples, como aumentar a temperatura da climatização.

Semiautonomia

Por outro lado, embora você possa não conseguir de primeira, é fácil acionar as tecnologias de condução semiautônoma. Estamos falando do famoso ACC (controle de cruzeiro adaptativo), além do sistema que interfere na direção para que o motorista não saia da faixa, detector de ponto cego, detector de fadiga e frenagem automática.

O 5008 conta ainda, em sua versão mais cara, com leitor de placas. Porém, durante o teste, o sistema mostrou dificuldade para identificar a maioria das sinalizações.

Outras tecnologias de destaque do SUV são os massageadores para os bancos dianteiros com cinco modos de atuação, além da central multimídia com tela sensível ao toque de 8 polegadas, o painel digital configurável com tela de 12,3”.

Espaço

E como estamos falando de um SUV para grandes famílias, é preciso falar sobre o espaço para os ocupantes traseiros. É possível com que três adultos viajem numa boa na segunda fileira porque o assoalho é plano. Entra nessa conta também o entre-eixos de 2,84 metros, 20 cm maior em relação ao 3008. A largura é de 1,90 m, enquanto a altura é de 1,64 m.

Já a terceira fileira é razoável para o transporte de crianças, sendo que os bancos são fáceis de serem puxados. Vale ressaltar aqui, que se o casal quiser deixar a criançada em casa, o bagageiro salta para 1.940 litros com todos os bancos rebatidos.

Equipamentos

A versão de partida vem com faróis Full Led, lanternas em LED, ar-condicionado digital de duas zonas com saídas para os bancos traseiros, teto solar, luzes de ambiente, rodas de liga leve diamantadas de 19 polegadas, descansa braços com compartimento refrigerado,faróis e lanternas de neblina, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, carregamento de celular por indução, câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, portão de partida sem chave, volante multifuncional e piloto automático.

A versão Griffe Pack ganha apenas os itens semiautônomos listados acima (detector de fadiga, sistema de ponto cego, correção e alerta de permanência em faixa, leitor de placas, frenagem de emergência e ACC).

O utilitário esportivo será vendido em quatro opções de cores, sendo três metálicas (cinza Artanse, Emerald Crystal, preto Perla Nera, além da perolizada branco Nacré.

Custo-benefício

O 5008 chega de cara com custo-benefício relevante perante a concorrência. Mesmo a versão topo de linha é bem mais barata em relação a rivais de sete lugares. O Toyota SW4 pede R$ 172.00, enquanto o Chevrolet Trailbazer sai por R$ 177.990. Já o Kia Sorento, vendido agora versão única, chega a R$ 209.990. O Peugeot é mais em conta ainda em relação conta mesmo quando comparado a SUVs de cinco lugares, caso do Honda CR-V, que chega aos País nos próximos dias em versão única de R$ 179.900.

Entre os concorrentes diretos, o Peugeot 5008 só parte mais caro do que o Mitsubishi Outlander, que sai por R$ 151.990.

 

Fonte: Webmotors

Peugeot 5008 estreia no Brasil a partir de R$ 157.490

Por | Novidades | Nenhum Comentário

SUV chega ao mercado na cola no 3008, mas com espaço extra e pegada familiar

Pouco mais de um mês após a chegada do 3008 em versão Griffe Pack, a Peugeot mais uma vez movimenta o mercado de SUVs no Brasil com o lançamento do 5008. Já vendido na vizinha Argentina e aguardado por aqui desde 2017, o modelo estreia no topo da gama com a missão de oferecer mais espaço e conforto que o irmão de plataforma, sem abrir mão do já conhecido pacote tecnológico. É cerca de 20 centímetros mais comprido, tem capacidade para levar até 7 ocupantes e começa a ser vendido em duas versões: Griffe (R$ 157.490) e Griffe Pack (R$ 166.490).

Assim como o 3008, o 5008 é produzido em Sochaux, na França, sobre a plataforma EMP2. O visual segue basicamente as mesmas linhas, com exceção do comprimento extra, das portas maiores e das soluções próprias adotadas nas laterais (especialmente vidros e coluna “D”). São únicas também as rodas de 19”, com efeito diamantado e acabamento em dois tons. No interior, o painel desenvolvido dentro do conceito i-Cockpit praticamente não muda, oferecendo quadro de instrumentos digital com tela de 12,3 polegadas e central multimídia de 8″.

No quesito equipamentos, destaque para a oferta de teto solar panorâmico, bancos do motorista e passageiro dianteiro com massageador, controle eletrônico de estabilidade (ESP), fixação Isofix para cadeirinhas infantis, 6 airbags, Hill Assist (sistema de auxílio de partida em aclive), faróis Full-LED com luz diurna em LED (DRL), sensores de chuva e crepuscular, suporte para carregamento de celular por indução, multimídia compatível com Apple CarPlay, Google Android Auto, MirrorLink, entre outros.

À versão Griffe Pack, mais completa, são adicionados diversos itens de assistência à condução, como piloto automático adaptativo com sistema de parada no tráfego, assistente de frenagem de emergência, assistente de permanência em faixa, detector de fadiga, comutador automático de farol alto, leitor de placas de trânsito, alerta de ponto cego com bloqueio de mudança caso tenha veículo na lateral e o Visiopark, sistema de câmeras 360º auxiliares de estacionamento.

Sob o capô, o motor 1.6 THP movido apenas a gasolina rende 165 cv e 24,5 kgfm de torque, vindo sempre associado ao câmbio automático de 6 marchas. A tração é apenas dianteira. Dados de fábrica revelam aceleração de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos e 206 km/h de velocidade máxima e, segundo o Inmetro, faz 9,5 km/l na cidade e 12,1 km/l na estrada, abastecido somente com gasolina. O porta-malas acomoda até 2.150 litros com os bancos da terceira fileira removidos e os da segunda deitados, além de 237 litros com os 7 bancos em uso.

 

Fonte: Motor 1

A partir de R$ 157.490, Peugeot 5008 traz estilo e sete lugares

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Versão alongada do 3008, novo SUV oferece sete lugares por um valor próximo ao da carroceria para 5 passageiros

 

Irmão maior do 3008 (ambos compartilham a mesma plataforma, neste caso alongada para sete lugares), o Peugeot 5008 começa a ser vendido no Brasil em duas versões, com preço a partir de R$ 157.490.

Até a coluna B, tudo é idêntico ao 3008 – a frente, por exemplo. As coisas mudam a partir das portas traseiras, maiores, para permitir o acesso à terceira fileira, com dois bancos individuais.

(Divulgação/Peugeot)

 

Com quase 20 cm a mais no comprimento em relação ao 3008 (no 5008, são 4,64 metros) a traseira também ganha aspecto mais próximo de uma minivan, com a tampa do porta-malas quase reta e o vidro com queda menos angulosa.

(Divulgação/Peugeot)

 

(Divulgação/Peugeot)

 

Por dentro, a ousadia e o capricho dos Peugeot atuais se manifestam nos traços futuristas do painel digital, na iluminação azul e nas muitas opções de modularidade do interior, com bancos móveis, rebatíveis e removíveis.

(Divulgação/Peugeot)

 

A capacidade do porta-malas com dois, cinco e sete bancos armados varia entre 1.940, 780 e 237 litros.

(Divulgação/Peugeot)

 

(Divulgação/Peugeot)

 

O motor é o já bem conhecido 1.6 THP de 165 cv e 24,5 mkgf a 1.500 rpm, com tração apenas nas rodas dianteiras (por enquanto, não haverá opção 4×4) e câmbio automático de seis marchas.

Se em carros menores da linha PSA este conjunto faz bonito, no caso do 5008 ele sofre um pouco mais para movimentar os 1.632 kg do SUV – confira o teste de pista completo na edição de abril da QUATRO RODAS, nas bancas a partir da semana que vem.

 

(Divulgação/Peugeot)

Preços e conteúdo

A versão de entrada (Griffe) do 5008 parte de R$ 157.490. Chama a atenção o fato de esse valor ser muito próximo ao do irmão 3008 em configuração topo de linha (R$ 154.990).

Ela já traz de série seis airbags, controles de tração e estabilidade, faróis full-led, iluminação interna por leds, hill assist, piloto automático com regulador de velocidade, sensor crepuscular e de chuva, carregamento de celular sem fio via WiFi, sensores de estacionamento e câmera de ré.

(Divulgação/Peugeot)

 

Há também faróis de neblina com função cornering light, freio de estacionamento elétrico, ar-condicionado digital bi-zona, teto solar elétrico panorâmico, bancos dianteiros com ajustes elétricos e massageadores, painel de instrumentos digital configurável, retrovisores com rebatimento elétrico, cortinas retráteis nos vidros traseiros e central multimídia de 8 polegadas.

(Divulgação/Peugeot)

 

Fonte: Guia 4 Rodas

Teste: Novo Peugeot 5008

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Com preço inicial de R$ 157.490, novo SUV da Peugeot repete a fórmula de sucesso do 3008, mas agora tem espaço para sete passageiros e porta-malas até 780 litros

 

Era meados de 2009 quando estreou a primeira geração do Peugeot 5008. A base da Citroën C4 Grand Picasso e os contornos de minivan reuniam todos os predicados de carro de família: farto em espaço, até sete bancos individuais, muitos recursos eletrônicos bacanas e, como de costume em modelos franceses, uma cabine bem construída e com materiais de bom gosto. O problema é que esse mercado foi encolhendo. E com as vendas cada vez menores, não havia outro caminho senão transformar o 5008.

Pois foi o que fez a Peugeot. Em vez de encerrar a produção, transformou o modelo em SUV nesta segunda geração, que acaba de chegar às lojas a partir de R$ 157.490. Na ponta do lápis, só 20 centímetros separam o 5008 do 3008, lançado há um ano. A dupla é igualzinha vista de frente. Aliás, até a coluna central, os modelos são literalmente idênticos. Mas dentro da cabine, o cenário muda bastante. É como se o novo 5008 ainda fosse uma minivan, porém, com o desejado casco de utilitário dos tempos modernos.

 

Espaço e conforto

A segunda fileira tem três bancos individuais e modulares forrados em couro, que podem ser dobrados, deslocados à frente sobre trilhos ou recolhidos para ampliar o bagageiro, que é dos maiores da categoria. São 700 litros em posição normal e até 780 litros com a segunda fila posicionada mais à frente. Há duas mesinhas do tipo aviação e a coluna traseira, mais alta e “quadrada” em relação ao 3008, deixou o vão das cabeças maior, para manter o bom espaço na terceira fileira, cujos assentos são escamoteáveis.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

 

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

 

Naturalmente, o espaço para pernas lá no fundão não é generoso como na segunda fileira. Também não há saídas de ventilação e controles do ar-condicionado para a turma de trás. Mas não dá para reclamar a bordo do 5008. Tal como seu irmão quase gêmeo, o SUV médio-grande é cuidadoso nos detalhes, desde o couro nos bancos com costura pespontada e ótima ergonomia, aos detalhes metálicos e em tecido nos forros das portas e no painel. Não é exagero dizer que sua cabine é uma das mais ricas da classe em acabamento.

Para além do material empregado, o 5008 vai encantar muitos casais que buscam um veículo familiar sofisticado. O i-Cockpit, que a Peugeot lançou no compacto 208 e depois espalhou pela gama, é o ponto alto. O volante ovalado de diâmetro reduzido fica posicionado abaixo do quadro de instrumentos em estilo único, mantendo conta-giros, velocímetro e visor do computador de bordo sempre à vista, em primeiro plano. A telinha exibe o velocímetro digital, o que acabou tornando o Head Up display desnecessário.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

 

O painel é voltado ao motorista e mantém a proposta de se fazer de cockpit, com o console entre os bancos também inclinado à esquerda, quase envolvendo o banco do condutor. Ao centro e no alto fica a tela multimídia de oito polegadas e com ótima sensibilidade ao toque. O equipamento oferece as interfaces Android Auto e Carplay, mas não traz GPS integrado e oferece apenas uma entrada USB no nicho à frente da alavanca do câmbio.

Talvez a Peugeot tenha achado suficiente colocar apenas uma USB porque o 5008 traz o sistema de carregamento sem fio para smartphones, que opera por indução. O problema é que poucos celulares já estão adaptados à tecnologia, e, sem a compatibilidade com o carregamento sem fio, o recurso é inútil. Mas o pecado capital da Peugeot foi ter descartado o sistema de tração integral no projeto. Nem mesmo o Grip Control, que ajusta a tração dianteira para o offroad, está no cardápio.

Há cerca de um ano, participei do lançamento do 3008 no Brasil. Lembro que o SUV fez um sucesso tremendo logo na estreia, principalmente por causa do visual ousado, com os elementos da nova identidade da marca, como a grade côncava cromada e os faróis recortados com LEDs diurnos pontilhados. Pois o 5008 repete o design de sucesso na dianteira, e muda apenas a traseira, que é mais alta. Isso o faz parecer mais utilitário que o irmão — as linhas quadradas dão esse teor.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

Ao volante

Nosso primeiro contato foi curto, mas pude acelerar o crossover em ambiente urbano, que será seu habitat. O rodar é leve e firme como no 3008, com respostas diretas do volante e suspensão bem ajustada para encarar pisos rugosos sem transmitir trepidações à cabine. Nas curvas, o utilitário é equilibrado e tem rolagem suave e controlada, permitindo fazer manobras mais arrojadas com segurança e solidez. A ergonomia é agradável, permite várias posições, e o i-Cockpit é impecável nisso.

A mecânica é rigorosamente igual à do 3008, combina o premiado motor 1.6 16V turbo de 165 cv e 24,5 kgfm ao câmbio automático de seis marchas, com paddle-shifts para trocas manuais. Embora veterano, o conjunto entrega ótimo desempenho para o utilitário de 1,6 tonelada. Nos testes de pista de Autoesporte, o 5008, para ir de zero a 100 km/h, precisou de 10,3 segundos, e, para retomar de 60 km/h a 100 km/h, 5,5 segundos, ótimas marcas para um SUV encorpado — são 4,64 metros de comprimento por 1,64 m de altura e os mesmos 1,9 m de largura do 3008.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

 

Números bem próximos aos obtidos pelo irmão, que fez de zero a 100 km/h em 9,4 segundos e levou 4,9 segundos para retomar de 60 km/h a 100 km/h. Quem olhar para o desempenho do Chevrolet Equinox, outro crossover médio-grande que estreou há poucos meses, pode achar que faltou um pouco de pulmão ao 5008. O modelo da gravata dourada, com seu viril 2.0 turbo de até 262 cv e 37 kgfm de torque, cravou 7,4 segundos no zero a 100 km/h e foi de 60 km/h a 100 km/h em rápidos 3,5 segundos.

Por outro lado, quando analisado o desempenho nas frenagens, o cenário é outro. O 3008 é referência, e o 5008 vem na cola, com números razoavelmente superiores aos do Equinox. Na frenagem total a 100 km/h, por exemplo, o 5008 precisou de 40 metros, contra 42 metros do Chevrolet e 37,7 metros do 3008. Já na frenagem completa a 60 km/h, o novo SUV da Peugeot percorreu 14,2 metros, ante 15 metros do Equinox e 13,9 metros do irmão menor. Para um veículo de apelo familiar, é um inegável trunfo. Há ainda os recursos do Griffe Pack, versão mais completa, que traz controle de cruzeiro adaptativo, alerta de ponto cego, assistente de permanência em faixa, entre outros.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

Vale a compra?

Sim. Embora seja caro para os padrões da marca, o SUV consegue transmitir o requinte e a sofisticação que se espera a bordo de um modelo que supera os R$ 165 mil. Do ponto de vista mecânico, entrega disposição na dose certa; e do de consumo, é elogiável — fez 9,1 km/l de gasolina na cidade e expressivos 14,8 km/l na estrada — , superando 800 km de autonomia. É um dos poucos da classe que oferece a terceira fileira de bancos, e o porta-malas é colossal. Se os utilitários ditam a moda, o 5008 chega com credenciais valiosas e familiares.

Novo Peugeot 5008 (Foto: divulgação)

Ficha técnica – Peugeot 5008

Motor: Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 1.6, 16V, comando duplo variável, injeção direta, turbo, gasolina
Potência: 165 cv a 6.000 rpm
Torque: 24,5 kgfm a 1.400 rpm
Câmbio: Automático de 6 marchas, tração dianteira
Direção: Elétrica
Suspensão: Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás
Pneus: 235/50 R19 (diant. e tras.)
Dimensões: Compr.: 4,64 metros / Largura: 1,90 m / Altura: 1,64 m/ Entre-eixos: 2,84 m
Tanque: 56 litros
Porta-malas: 700 litros (fabricante)
Peso: 1.632 kg
Central multimídia: 8 pol., sensível ao toque
Garantia: 3 anos
Cesta de peças*: R$ 14.615
Revisões: 10 mil km: R$ 482/ 20 mil km: R$ 836 / 30 mil km: R$ 482

TESTES

Aceleração
0–100 km/h: 10,3 s
0–400 m: 17,2 s
0–1.000 m: 31,3 s
Vel. a 1.000 m: 169 km/h
Vel. real a 100 km/h: 97 km/h

Retomada
40–80 km/h (Drive): 4,4 s
60–100 km/h (D): 5,5 s
80–120 km/h (D): 7,0 s

Frenagem
100–0 km/h: 40 m
80–0 km/h: 25,8 m
60–0 km/h: 14,2 m

Consumo
Urbano: 9,1 km/l
Rodoviário: 14,8 km/l
Média: 11,9 km/l
Aut. em estrada: 828 km

 

Fonte: Revista Auto Esporte

Os carros mais fáceis e baratos para consertar

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Veja quais foram os carros que registraram o menor custo para conserto em caso de batida leve em 2017. Os dados são do Cesvi

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) analisou a relação entre custo e facilidade de reparo de 23 carros ao longo de 2017.

O Cesvi divulgou os campeões em cada categoria. Foram analisados hatches compactos, hatches compactos off-road, minivans compactas, picapes compactas cabine simples, picapes compactas cabine dupla, sedans compactos, sedans médios, SWs compactas, utilitários esportivos e utilitários esportivos off-road.

Carros mais fáceis e baratos para consertar permitem ao comprador economizar com o seguro, por exemplo, já que custos com reparos têm influência sobre o preço da proteção.

Para chegar ao índice de reparabilidade, o Cesvi testa como cada modelo reage a uma batida leve. Colisões deste tipo correspondem a 75% das ocorrências registradas nas grandes cidades. O indicador varia de 10 a 60. Quanto menor a nota, mais fácil e barato é o conserto do carro.

Os carros foram analisados por solicitações das próprias montadoras. O estudo contempla veículos fabricados no Brasil, Mercosul e também importados. Estão excluídos modelos fora de linha de produção, esportivos fora-de-série, picapes e utilitários com peso superior a 2,3 kg. A atualização do ranking é feita mensalmente.

Confira nas fotos a seguir os dez modelos que receberam as melhores notas em 2017, segundo o Cesvi:

Volkswagen UP!

Volkswagen UP! (Volkswagen UP!/Divulgação)

Índice: 10

Categoria: Hatch compacto


Volkswagen Cross UP!

Volkswagen Cross UP! (Volkswagen/Divulgação)

Índice: 10

Categoria: Hatch compacto off-road


 Volkswagen Spacefox

Volkswagen Spacefox (Volkswagen/Divulgação)

Índice: 14

Categoria: SW Compacta


 Toyota Etios Sedan

Toyota Etios Sedan (Toyota/Divulgação)

 

Índice: 17

Categoria: Sedan Compacto


 Citroën Novo Aircross

Citroën Aircross (Citroën/Divulgação)

Índice: 29

Categoria: Minivan compacta


 Volkswagen Nova Saveiro GVII

Volkswagen Nova Saveiro (Volkswagen/Divulgação)

Índice: 29

Categoria: Picape compacta cabine simples


Volkswagen Nova Saveiro CD GVII

Volkswagen Nova Saveiro (Volkswagen/Divulgação)

Índice: 29

Categoria: Picape compacta cabine dupla


Peugeot 2008

Peugeot 2008 (Peugeot/Divulgação)

 

Índice: 27

Categoria: Utilitário esportivo


Suzuki Jimny

Suzuki Jimny (Suzuki/Divulgação)

Índice: 35

Categoria: Utilitário esportivo off-road


Citroën C4 Lounge

Citroën C4 Lounge (Citroën/Divulgação)

Índice: 37

Categoria: Sedan médio

Metodologia

Os veículos de uma mesma categoria passam por testes de impacto em baixa velocidade (15 km/h), nos quais há colisão da dianteira esquerda e da traseira direita.

Depois da batida, o carro é levado a uma oficina, onde são analisados os danos, o tempo e o custo do reparo, além dos preços das peças que terão de ser substituídas.

O conserto do impacto dianteiro tem 60% de peso no índice, enquanto a batida traseira representa 25%. O custo de uma cesta com 15 peças que costumam ser mais danificadas e o valor da mão de obra equivalem a 15% do cálculo.

Veja o ranking completo e atualizado aqui.

 

Fonte: Exame