Categoria

Novidades

Peugeot i-cockpit: descubra um novo conceito de dirigibilidade

Por | Novidades | Nenhum Comentário

A Peugeot traz para o mercado um novo e evoluído conceito em dirigibilidade: o Peugeot i-Cockpit. Ferramentas modernas e digitais foram posicionadas de forma a revolucionar a ergonomia e a experiência do condutor. Conequentemente, têm recebido grande aceitação por parte do mercado.

Portanto, neste texto, você saberá tudo o que o i-Cockpit da Peugeot tem para oferecer a motoristas e passageiros dos novos veículos da montadora francesa. Confira!


O que é o i-Cockpit?

i-cockpit Peugeot - dirigibilidade

Foto: Peugeot

Peugeot i-Cockpit é um conceito de painel interno de alguns dos novos veículos da Peugeot. O conceito surgiu pela primeira vez no Peugeot 208, no ano de 2012. Entretanto, de lá pra cá, a montadora francesa fez uma série de testes de mercado. 

Além disso, a empresa ouviu diretamente opiniões de proprietários em todo o mundo. O intuito era saber o que deveria ser aprimorado ou mantido no novo painel de seus veículos.

O resultado disso tudo é uma experiência completa e revolucionária de dirigibilidade. Ela permite ao condutor muito mais conforto, performance e aproveitamento de seu veículo. Atualmente, a Peugeot utiliza o conceito nos carros 208, 308 e nos SUVs 2008, 3008 e 5008.


O que o i-Cockpit oferece de inovador?

Basta olhar para os painéis i-Cockpit dos carros Peugeot para reconhecer que neles há algo de diferente e especial. Afinal, o visual do i-Cockpit possui um bom gosto refinado e diferenciado, mas as vantagens vão além da estética. Dessa forma, o novo painel foi planejado para oferecer ao motorista e também aos passageiros um vasto campo de visão.

Apesar de ser alto em relação ao solo e até mesmo em relação aos bancos, o painel tem um formato e uma angulagem que permite ao motorista enxergar mais longe, bem como ver mais detalhadamente os objetos mais próximos, mantendo a segurança que um painel alto oferece em caso de acidentes.

Além disso, outro destaque é o volante. Com diâmetro reduzido em comparação com os concorrentes, o volante do i-Cockpit oferece mais precisão, conforto e menor tempo de reação aos movimentos do motorista. Apesar de menor, ele ainda é leve e de fácil manuseio.

 

Destaques

Um dos principais destaques do i-Cockpit é o painel em formato Heads-up display. Afinal, o painel de informações como velocímetro, contador de RPM e outras ferramentas foi disposto diante do motorista em uma tela digital de alta resolução completamente customizável pelo condutor do veículo para sua maior comodidade.

Com o painel Heads-Up display, fica muito mais fácil acessar os dados de sua viagem sem tirar os olhos da estrada. Porém, para o passageiro, também há uma central multimídia com tela touch. Ele possui oito polegadas e fica ao centro do i-Cockpit. Já a central oferece navegação GPS 3D e pode ser sincronizada facilmente com dispositivos Android e iOS.

A experiência de dirigibilidade proporcionada pelo novo painel permite ao motorista escolher configurações específicas para seu estilo de pilotagem. Portanto, os mais arrojados podem escolher padrões distintos em relação aos condutores mais tranquilos.

Tudo isso com amplo campo de visão e muito mais espaço para as pernas. Consequentemente, isso garante o que há de melhor em conforto e performance no seu automóvel.


Agora que você conhece os diferenciais do i-cockpit, veja algumas dicas para valorizar seu carro neste artigo que fizemos. Ademais, aproveite para assinar nossa newsletter e receber promoções e novidades La Cité Peugeot.

O que é Tabela Fipe? Entenda sua importância na revenda de carros

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Você sabe o que é Tabela Fipe? Sabe da sua importância na hora de vender um carro ou contratar um seguro? Se não, leia nosso texto e conheça sua utilidade!

O que é tabela Fipe - Peugeot 3008

Foto: Peugeot

Revender ou contratar um seguro para seu carro – seja ele seminovo ou usado – implica em saber o que é Tabela Fipe. Afinal, além de não ser uma tarefa fácil, esse processo exige muita pesquisa e envolve questões sobre os preços que precisam ser estudadas.

Por sorte, para auxiliar os compradores e vendedores nessa tarefa, existe a Tabela Fipe. Mas o que é Tabela Fipe? Vamos explicar: ela é um parâmetro utilizado na hora de negociar valores de automóveis seminovos, assim como contratação de seguros.

Apesar de parecer confuso, não há muito segredo para entender como ela funciona. Por isso, para tirar suas dúvidas, explicamos neste texto o que é essa tabela e qual a sua importância na revenda de carros. Acompanhe!

 

O que é Tabela Fipe?

É um índice baseado na coleta de dados de veículos por todo o país. Sejam carros, motos ou caminhões, os pesquisadores – em posse dos valores dos dados apurados em visitas a concessionárias e lojas de seminovos – descartam os valores mais altos e baixos obtidos durante a coleta de dados. Com isso, uma média de preço é calculada para cada marca e modelo de veículo pesquisado.

Esse parâmetro é utilizado e divulgado em todo o mercado nacional. Produzido a partir da coleta de dados colhidos em 24 estados, a pesquisa recebe mais de 125 mil cotações de 320 estabelecimentos. Além disso, a tabela Fipe é atualizada mensalmente, por isso serve como referência na hora de revender um veículo ou contratar seguros.

 

Como surgiu?

Criada em 1973, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) tem como objetivo produzir estatísticas para a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – FEA/USP. Atualmente, a instituição presta serviços para o governo e empresas privadas através de seu principal produto: a Tabela Fipe.

A tabela apura os preços de veículos para o segmento de carros e utilitários fabricados a partir de 1985. Para caminhões e micro-ônibus, os modelos avaliados são os produzidos a partir de 1981. Já para motos, triciclos e quadriciclos, a amostragem considera os que foram feitos a partir de 1990.

 

Como Funciona?

Com os veículos de quilometragem zero, é apurado o preço médio das versões básicas, com itens opcionais, intermediárias e completas. Entretanto, algumas variáveis são consideradas na hora de negociar um carro com base na Tabela Fipe. Tais quesitos elevam ou diminuem o valor do veículo. Veja os principais:

  • Quantidade de quilômetros rodados;
  • Estado do veículo;
  • Cor do veículo;
  • Itens opcionais: bancos de couro, teto solar, computador de bordo, entre outros.

Exceções

O cálculo da tabela Fipe descarta os veículos vendidos para frotistas, órgãos governamentais, que passaram por processo de blindagem ou são personalizados com conversão de motor – a exemplo de  ambulâncias – além de automóveis customizados.

Ademais, os carros importados de forma independente, sobretudo os de marcas não consolidadas no mercado, também são desconsiderados pela tabela.

Entretanto, é importante ressaltar que seu uso não é obrigatório na hora de revender. Afinal, cada empresa utiliza regras específicas em relação aos preços praticados. O que é avaliado, principalmente, é a situação atual do carro. Por esse motivo, por mais que exista a tabela, ela é usada apenas como norte na hora de precificar os modelos.

Renova Peugeot

Para quem troca de modelo após um certo período ou quer garantir uma boa revenda, pode aderir ao programa Renova Peugeot. Considerado o melhor plano de fidelização e recompra do mercado, nele, o cliente obtém contratualmente a garantia de recompra e valorização do seu Peugeot.

Você poderá, em 30 meses, trocar seu carro por um zero quilômetro. Isso porque a rede de concessionárias se compromete a receber o veículos adquiridos através desse plano, na troca de um veiculo novo, por até 85% do preço avaliado pela tabela FIPE.

Entendeu como a Tabela Fipe funciona? Para saber a média de preço de cada veículo, basta acessar o site da Fipe clicando aqui e fazer uma busca pelo automóvel que se deseja adquirir ou vender.


Ademais, aproveite para conferir nosso post sobre valorização de carros para saber como deixá-lo mais atrativo na hora de revender! Por fim, se cadastre em nossa newsletter pelo formulário aí em cima para receber novidades e promoções da La Cité Peugeot.

Valorização de carros: como tornar seu veículo mais atrativo na hora do repasse

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Tornar o carro atrativo para venda pode ser impossível se você não tomar alguns cuidados. Confira dicas de valorização de carros e deixe seu veículo mais rentável

Não é só na hora de comprar um automóvel que se deve ficar atento à valorização de carros. Afinal, um carro bem conservado vale mais, mas não é só isso que irá torná-lo um bom negócio para o futuro comprador.

É preciso entender que pequenos detalhes fazem muita diferença nessa hora. Além disso, que certos cuidados devem ser tomados durante todo o período de uso do carro, não apenas quando você quiser trocar de automóvel.

Afinal, quanto melhor o veículo estiver, mais ele valerá. Por isso, no texto de hoje, listamos alguns cuidados que você precisa tomar caso deseje que seu carro seja vendido rápido e por um bom valor. Com essas dicas de valorização do veículo, você conseguirá vendê-lo com facilidade. Aprenda a tornar seu automóvel seminovo um excelente cartão de visita!

 

Revisões obrigatórias e programadas

Foto: Reprodução

Fazer manutenções periódicas no carro é fundamental para quem deseja revendê-lo. Afinal, é altamente recomendado que as revisões sejam feitas a cada 10 mil quilômetros rodados ou um ano de uso. Porém, além de fazê-las, guarde todos os comprovantes e os apresente durante a negociação. Só dessa forma você passa confiança para o vendedor e valoriza seu veículo.

 

Item opcional é um diferencial

Sabe aquele trio elétrico que você preferiu não incluir na hora da compra do carro? Eles fazem muita diferença na hora de revendê-lo. Afinal, ninguém hoje em dia utiliza manivela para descer o vidro, certo? Sobre os alarmes então, nem se fala. Por isso, preze por esses itens na hora da compra.

 

Incrementos só de fábrica

Se não deu pra acrescentar o teto solar ou o computador de bordo que você queria em seucarro, não faça esse incremento em outro local que não seja a fábrica da concessionária.

Além de o resultado não ficar esteticamente parecido com o que você obtém com a fabricante, podem ocorrer problemas que irão desvalorizar muito o seu carro. Ainda há o perigo de o veículo ser prejudicado em quesitos como sustentação e ergonomia.

 

Detalhes na valorização de carros

Você deve saber que a apresentação do carro conta muito na hora de vender. E isso vale, inclusive, para pequenos detalhes, como os frisos e logos do veículo. Afinal, não ter esses itens no automóvel dá a impressão de que ele sofreu batidas ou acidentes e foi consertado sem capricho.

Você não vai querer que isso aconteça. Se os compradores em potencial percebem esses detalhes (e eles sempre percebem) pode ser que a venda seja perdida. Por via das dúvidas, é melhor manter os cuidados com o carro e, caso ocorra alguma batida, levar para a concessionária e substituir o que foi danificado por peças originais.

Além disso, itens como a chave reserva do veículo e o manual do proprietário também são itens que, caso estejam bem conservados, mostram a preocupação do dono do carro com seu bem.

 

Pneus e faróis

Valorização de carros - Pneu de carro Peugeot

Foto: Reprodução

 

Os pneus também são observados na hora da venda. Por isso, quando for trocá-los, dê preferência aos originais, fabricados pela própria marca. O mesmo vale para os faróis: se eles não forem originais, a integridade do carro será questionada.

O barato sai caro, e no caso dos faróis, pode lhe custar R$ 500 ou mais. Portanto, o ideal é que quando o automóvel precisar de conserto, ele seja encaminhado para a assistência técnica especializada.

 

Cuidados com o interior

Valorização de carros - limpeza e conservação de automóvel

Foto: Reprodução

De nada adianta prezar pelo cuidado na parte externa do veículo se, ao entrar, ele se encontra mal cuidado. Afinal, carro sujo por dentro é sinônimo de descuido. Por isso, tenha muito cuidado com manchas nos estofados e faça de tudo para mantê-lo limpo.

Se a película insulfilm estiver caindo troque-a por outra, leve-o a um lava jato sempre que for preciso ou ao menos uma vez ao mês e evite comer dentro do veículo. O desleixo também contribui para a não valorização de carros.

 

Onde vender?

Valorização de carros - Concessionária Peugeot

Foto: Reprodução

Por fim, escolha bem onde revender. Para os carros da Peugeot, por exemplo, existe o Renova Peugeot. Nesse modelo de financiamento, o cliente dá 30% de entrada num financiamento pelo Banco Peugeot e, a partir do trigésimo mês de uso, a concessionária paga 85% da valorização de carros praticada pela Tabela Fipe, caso o cliente deseje trocar seu carro.


Viu que cuidar bem de seu carro é fundamental para ter um bom retorno? Caso você tenha se interessado pelo programa Renova Peugeot, agende um Emotion Drive na La Cité e sinta a experiência premium de dirigir um Peugeot. Além disso, para receber mais dicas como essa, assine nossa newsletter e receba nossas novidades e promoções!

Veja os carros mais fáceis e baratos de consertar de 2018

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Ranking CAR Group do Cesvi Brasil mostra domínio da Volkswagen, vencedora de sete das 11 categorias

 


2 / 11

Volkswagen Polo

O Volkswagen Polo foi o vencedor na categoria hatch compacto com o mesmo índice 10 do Up


3 / 11

Volkswagen CrossUp TSI

A categoria Hatch Compacto Off-Road apontou o CrossUp! como modelo mais fácil e barato de reparar, também com índice 10

 


4 / 11

Volkswagen Saveiro CS

A Volkswagen Saveiro levou a melhor em duas categorias; a primeira foi de picape compacta cabine simples com índice 27

 


5 / 11

Volkswagen Saveiro CD

Na categoria Picape Compacta Cabine Dupla, a Volkswagen Saveiro CD levou a melhor com índice 28

 


6 / 11

Volkswagen Virtus

O Volkswagen Virtus venceu a categoria de sedãs compactos com índice 10

 


7 / 11

Citroën C4 Lounge

Mesmo com um índice relativamente alto comparando com outras categorias, o Citroën C4 Lounge foi o campeão da categoria Sedãs Médios com 40 pontos

 


8 / 11

Citroën Aircross

O Aircross venceu a categoria Minivan Compacta obtendo um índice de 31 pontos

 


9 / 11

Volkswagen SpaceFox

Quase em extinção, a categoria de Station Wagon Compacta teve a Volkswagen SpaceFox como grande vencedora: 16 pontos

 


10 / 11

Peugeot 2008

O Peugeot 2008 superou vários rivais na categoria de Utilitário Esportivo com índice 31

 


11 / 11

Suzuki Jimny

O Suzuki Jimny levou a melhor na categoria de Utilitário Esportivo Off-Road com índice 31

 


1 / 11

Volkswagen Up!

A edição 2018 do Ranking Car Group (do CESVI Brasil) teve domínio da Volkswagen, vencedora de sete das 11 categorias; o melhor hatch compacto foi o Up! com índice 10 — quanto menor a nota, mais fácil e menor é o custo de reparabilidade do veículo.

 

Fonte: Uol Carros

Com balanço no azul, Peugeot quer agora crescer no Brasil

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Jean Philippe Imparato, presidente mundial da marca, diz que há potencial de chegar a 3% de participação no médio prazo

 

Depois de um longo período de ajustes, a Peugeot enfim desenha uma estratégia de expansão das vendas no Brasil. O objetivo de ampliar a participação de mercado parece um tanto óbvio para uma fabricante de carros. A marca francesa, no entanto, foi uma exceção a esta regra nos últimos anos. Enquanto o mercado brasileiro de veículos mergulhava na pior retração da sua história, a empresa concentrou esforços em um só objetivo: recuperar a lucratividade na América latina. “Esta é uma condição para a nossa atuação em qualquer região. Agora o nosso balanço é positivo aqui”, diz Jean-Philippe Imparato, presidente mundial da Peugeot que aproveitou a sua visita anual ao Brasil para conversar com a imprensa – assim como fez em 2017.

Segundo o executivo, a atuação regional da marca tem quatro eixos centrais. A prioridade é manter a qualidade de produtos e serviços em primeiro lugar, centrados no cliente. A segunda regra de ouro é “nunca perder dinheiro”, conta o executivo. Em seguida aparece o mandamento de manter estoques controlados nas revendas, em até 39 dias, com uma relação saudável com a rede de distribuição. “Nunca empurramos carros para o concessionário e jamais investimos em práticas tóxicas para ganhar market share, como emplacar carros que não foram vendidos”, conta. A busca por melhorar a participação de mercado só aparece em último lugar na estratégia local da empresa. A ideia é não conquistar espaço a qualquer custo.

“O dia em que metade das nossas vendas for destinada a locadoras, não ao cliente final, será o começo do nosso fim”, diz Imparato.

Depois de passar os últimos anos concentrada em organizar a casa e adequar a operação aos três primeiros pilares da estratégia, a empresa enfim se volta a ampliar a participação de mercado de forma saudável e sustentável, como reforça o presidente da companhia.

 

HORA DE CRESCER

 

Com as regras na mesa, a Peugeot quer voltar a crescer no Brasil em 2019. O país é um dos cinco mercados prioritários da empresa no mundo por seu potencial de longo prazo, segundo Imparato. De janeiro a outubro deste ano os negócios da montadora encolheram 6,5% na comparação com período equivalente de 2017, para 20,2 mil veículos. A meta é ampliar os volumes em 50% em 2019, com avanço superior aos 10% que a empresa prevê para o mercado brasileiro. Apesar do crescimento expressivo, a participação de mercado continuará tímida, saindo dos atuais 1% para 1,3%.

“No médio prazo, podemos alcançar 3% de market share sem precisar lançar mão de práticas de mercado tóxicas para a lucratividade. Prefiro uma participação menor jogando limpo do que chegar a 5%, mas precisar comprometer as margens”, diz Imparato.

A expansão da empresa vai se sustentar na estratégia de ter uma gama de produtos de valor elevado, com posicionamento premium entre as marcas de alto volume. A companhia aposta, principalmente, em dois segmentos. O primeiro é o de utilitários esportivos, em que a empresa compete atualmente com o 2008, o 3008 e o 5008. A marca não detalha o plano de lançamentos, mas certamente contará com novidades para sustentar a expansão programada para 2019.

O outro segmento que recebe grande atenção da Peugeot é o de veículos utilitários para uso profissional, em que já conta com os modelos Expert, Partner e Boxer, todos com fila de espera. “Estamos aumentando a capacidade do nosso fornecedor no Uruguai, que monta os veículos desta linha de produtos para vender no Brasil”, conta Ana Theresa Borsari, diretora-geral da Peugeot, da Citroën e da DS para o Brasil. Segundo ela, os modelos são um sucesso global. “Quando vocês oferece algo funcional e moderno as pessoas compram. No mercado de veículos profissionais a demanda é por ter baixo custo de operação, algo que nós conseguimos oferecer”, diz.

 

EM BUSCA DE UM MODELO DE NEGÓCIO QUE GARANTA RESILIÊNCIA

 

Nos últimos quatro anos, sob a liderança de Ana Theresa, a Peugeot reestruturou sua rede de concessionárias antes de buscar expansão das vendas. “Hoje a maioria dos nossos representantes são novos grupos”, diz. Em paralelo, a empresa se engajou na reconstrução da imagem da montadora para os clientes ao implementar o programa Renova Peugeot, em que as revendas se comprometem a recomprar o usado do cliente de volta por valor competitivo. A companhia também trabalhou fortemente para elevar a satisfação com a marca e garante ter alcançado níveis elevados.

As ações são as apostas para deixar para trás de vez os erros do passado que construíram a reputação local de revenda difícil dos modelos Peugeot e de manutenção a preços muito elevados no Brasil. “É a nossa maneira de proteger a marca para construir o futuro daqui para frente”, resume Imparato. O executivo franco-italiano diz que América Latina é um mercado que demanda extrema resiliência e flexibilidade.

“Aqui aprendi que não posso me surpreender com nada. Me impressiono sempre com a capacidade brasileira de seguir em frente, de tocar novos projetos em condições adversas. Na Europa, com metade dos problemas que vocês enfrentam aqui as pessoas estariam deprimidas”, brinca o executivo.

Ele espera que, depois de ajustar a casa e traçar a estratégia de crescimento, a Peugeot alcance crescimento sustentável localmente. “Construímos uma estratégia que esperamos que garanta lucratividade à empresa mesmo se o câmbio disparar e o dólar chegar a R$ 5. Queremos fugir do anda e para”, conta. A meta, afinal, é deixar a companhia pronta para superar bem os vales impostos pelas crises porque, se há algo inevitável, é que elas vão acontecer.

 

Fonte: Automotive Business

Esportivados

Avaliação: Peugeot 3008 – Feito para o asfalto

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Equipamentos eletrônicos de segurança incrementam a versão mais sofisticada do Peugeot 3008. Motor 1.6 turbo e câmbio automático de seis marchas empurram bem 1,5 tonelada

Por Paulo Eduardo

O bem-estar ao volante do Peugeot 3008 aumenta com os equipamentos de segurança da versão Griffe Pack que inclui frenagem automática de emergência e alerta de colisão; correção e alerta de permanência em faixa; alerta de atenção do condutor depois de conduzir por mais de duas horas; comutação automática de farol alto para o baixo; leitor de placas de velocidade; controlador de velocidade com sistema de parada; alerta de ponto cego e ajuda em manobras.

Auxílio a condução

 
Um radar no parachoque dianteiro e uma câmera no alto do parabrisa fazem o carro parar em caso de colisão iminente contra outro carro ou pedestre. A reação motorista é antecipada se houver demora. Motorista sente no volante a correção das saídas da faixa seguida de alerta. Pode-se controlar a velocidade em relação ao carro da frente até a parada completa, se for o caso. Este pacote aumenta o valor da versão Griffe Pack em R$ 6 mil em relação à Griffe. O preço sugerido da Griffe Pack é de R$ 166.990.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Segurança

 
Além desses novos itens, Peugeot 3008 traz também seis airbags, controles de tração e estabilidade, além dos muitos equipamentos de conforto e conveniência. Se a impressão externa arrebata olhares pelos recortes equilibrados na dianteira, segue na lateral limpa e termina na traseira convencional, o melhor é abrir a porta e se acomodar muito bem nos bancos dianteiros forrados em couro legítimo. Inconveniente é não permitir transpiração. Esses têm regulagens diversas, incluindo a lombar, e massageador. O conforto não está restrito ao motorista. A marca do leão lembrou-se do passageiro.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Quadro de instrumentos

 
O jeitão futurista continua com o volante pequeno achatado nas bases superior e inferior, quadro de instrumentos digital de 12,3 polegadas. O quadro é visualizado acima do volante. No grande console central, há uma profusão de comandos para diversas funções. Parece confuso, mas é fácil de acostumar e lidar. A tela multimídia se destaca na parte superior do painel. Material emborrachado indica o zelo com acabamento. Há pequenas imperfeições de alguns encaixes. Completa a ambientação interior, os LEDs na cor azul nas portas, console e teto solar.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Banco traseiro

 
No banco traseiro, há saída de ar condicionado e espaço para três. Entrar e sair não requer contorcionismo nem na frente nem atrás. Assentos traseiros curtos não apoiam devidamente as pernas e contrastam os dianteiros que têm prolongador de assento. Porta-malas enorme forma plataforma alinhada com os bancos traseiros rebatíveis, quando necessário.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Andando

 
Em movimento, apesar de ser um SUV de mais de 1,5 tonelada de peso, Peugeot 3008 mostra-se dócil ao volante com boa calibragem da direção variável, leve em baixa e com boa sensibilidade em alta. Revestimento em couro liso do volante provoca deslize acidental. Desempenho supera expectativas, atingindo 100 km/h em cerca de 9 segundos e velocidade máxima acima de 200 km/h. Marchas podem ser trocadas manualmente e há opção esportiva. Porém, um SUV com mais de 22 centímetros de altura requer prudência nas curvas apesar de toda eletrônica de segurança disponível. Computador de bordo registrou consumo de 9 km/l na cidade e 11 km/l na estrada.

Freios são eficientes e faróis de LED iluminam muito bem, aumentando a segurança. O ângulo de ataque limitado (20 graus) e a tração apenas dianteira desaconselham aventuras fora do asfalto. Suspensão confortável. Mas nas imperfeições e remendos do asfalto, as rodas enormes aro 19 e pneus largos sobem e caem bruscamente provocando desconforto.

Por toda tecnologia e agradável bem-estar, o 3008 é muito mais prazer e os pequenos incômodos passam quase despercebidos.

 

Ficha técnica Peugeot 3008

 
Motor
De quatro cilindros em linha, 1.598 cm³ de cilindrada, 16 válvulas, gasolina, de 165 cv de potência máxima a 6.000 rpm e torque máximo de 24,5 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas

Direção
Tipo pinhão e cremalheira com assistência elétrica; diâmetro de giro, 11 metros

Freios
Disco ventilado na dianteira; sólido na traseira; ESP (controle de estabilidade), TC (controle de tração) e HSA (assistente de partida em rampa)

Suspensão
Dianteira, independente, do tipo McPherson, barra estabilizadora; traseira, eixo de torção, barra estabilizadora; altura do solo, 22,6 centímetros

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Rodas/pneus
7,5×19” de liga leve /235/50R19

Peso
1.567 kg

Carga útil (passageiros+ bagagem)
Não divulgado

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,447; largura, 1,906; altura, 1,625; distância entre-eixos, 2,675

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

 

Capacidades (litro)
Porta-malas, 520; tanque, 53; ângulos de ataque/saída (graus), 20/29

Desempenho
Velocidade máxima, 206 km/h; aceleração até 100 km/h, 8,9 segundos

Consumo (km/l)
Urbano, 9,4; estrada, 9,6

 

 

Fonte: Auto Segredos

Peugeot começa a vender Expert Minibus

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Versão para 11 ocupantes tem motor turbodiesel de 115 cv e sai por R$ 118,6 mil

 

Peugeot lança no Brasil o Expert Minibus, versão de passageiros do utilitário lançado no segundo semestre de 2017. Equipado com motor 1.6 turbodiesel de 115 cavalos, ele está à venda na rede Peugeot por R$ 118,6 mil. O Expert é montado pela Nordex no Uruguai, mas parte de sua produção é encaminhada para a fábrica da PSA em Porto Real (RJ), onde recebe vidros laterais, traseiros, bancos adicionais e outros itens necessários à configuração para passageiros.

O Expert Minibus leva 11 pessoas (motorista mais dez passageiros) e é adequado ao setor de turismo, transfers e transporte de executivos, por exemplo. Os assentos são individuais. A lista de equipamentos inclui cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, sensor de fadiga do motorista, controle eletrônico de estabilidade (ESP), assistente de partida em rampa e ar-condicionado também para o banco traseiro.

A lista do Expert Minibus inclui também regulagem de altura e profundidade do volante, banco do motorista com ajuste de altura, apoio de braço para o motorista, controlador automático de velocidade, indicador de troca de marchas, tacógrafo digital, vidros e travas com acionamento elétrico, computador de bordo, sistema de som com rádio, MP3 e entrada USB, entre outros itens.

A garantia é de três anos. Durante o período de lançamento o Banco PSA oferece entrada a partir de 20% e o saldo restante em até 48 parcelas, com taxas até 1,19% ao mês.

 

Fonte: Automotive Business

Compra Certa 2018: Peugeot 5008 é o vencedor entre carros de 150 mil a 180 mil

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Com sete lugares e manutenção honesta, é o Peugeot quem se destaca nessa faixa de preço

Neste ano analisamos 625 carros, modelos e versões separados em 11 diferentes faixas de preço – do mais barato até R$ 45 mil, ao teto de até R$ 180 mil – para indicar os melhores negócios para você. Levamos em conta o que pesa no seu bolso, mas também consideramos o prazer em dirigir que cada um proporciona. Os valores pesquisados são referentes ao mês de abril de 2018.

Para avaliarmos, consideramos os atributos mecânicos, como, por exemplo: desempenho, capacidade dinâmica, motor, câmbio, suspensão, peso/potência, prazer ao dirigir e percepção de qualidade. Consideramos também, os aspectos financeiros e econômicos, como: preço, desvalorização, seguro, rede de concessionárias, equipamentos, revisões, carro na rua, garantia, cesta de peças e consumo.

O grande vencedor da nossa avaliação compra certa 2018, com valores de R$ 150 mil a R$ 180 mil é o Peugeot 5008. Talvez seja essa geração de SUVs da marca francesa, e inclua aí o 3008, que vá mudar de vez a imagem da marca para o consumidor brasileiro. Fomos surpreedidos, além da qualidade do carro, claro, pelos bons custos de manutenção e pela receptividade do mercado. Sem falar da comodidade dos 7 lugares, nem dos itens de série que misturam conforto e tecnologia como poucos, nessa faixa de preço o 5008 é um dos que menos faz seus donos sofrerem na hora de manter o carro.

As revisões do Peugeot 5008, pasme, custam R$ 4.358 até os 60.000 km, valor que é menos da metade do cobrado pelo Volvo para fazer os serviço no novo XC40. Outro ponto importante é a fim do mito da desvalorização. A projeção é a de que o dono de um 5008 perca apenas 8,2% do investido depois de um ano. E isso era impensável há dois anos.

Para sair como vencedor, o Peugeot 5008 teve que desbancar modelos concorrentes na mesma faixa de preço, como: Jeep Compass Trailhawk (2º lugar), Toyota Hilus SW4 Flex (3º lugar), Chevrolet Trailblazer V6 (4º lugar), VW Amarok Highline (5º lugar), Volvo XC40 T4 (6º lugar), BMW 320i Sport (7º lugar), Honda CR-V (8º lugar), Mercedes-Benz GLA Advance (9º lugar) e Audi Q3 Ambiente (10º lugar).

 

Fonte: Car and Driver Brasil

Pelo quarto ano consecutivo, o motor a gasolina de 3 cilindros turbo PureTech ganha o prêmio “Motor do Ano 2018” na sua categoria

Por | Novidades | Nenhum Comentário

Em Stuttgart, na Alemanha, o júri da 20ª edição do “International Engine of the Year Awards” atribuiu, pelo quarto ano consecutivo, o prêmio do motor do ano ao motor a gasolina de 3 cilindros turbo PureTech na categoria de 1l a 1.4l.

A família de motores a gasolina de 3 cilindros registra 210 patentes depositadas pelo Groupe PSA. A nova geração do motor PureTech apresenta melhorias em termos de desempenho, consumo e eficiência, possibilitando:

• Uma melhoria de 4% do consumo médio em relação à geração anterior.

• Uma melhoria da resposta do motor graças à otimização do turbo compressor (aumento do torque – 20% mais rápido a partir de 1.500 rpm).

• Uma redução de 75% das emissões de partículas graças ao filtro de partículas de gasolina (GPF), atendendo ao fator de conformidade RDE (Real Driving Emissions) de 1,5 fixado pela regulamentação europeia de 2020, com três anos de antecedência.

• Uma estrutura mais compacta para se adaptar à nova plataforma CMP dedicada aos carros urbanos, sedãs de médio porte e aos SUVs compactos.

Esta nova geração, lançada em 2017 no novo Peugeot 308, começa a equipar os veículos do Groupe PSA através de uma centena de aplicações em mais de 70 países. Essas motorizações estão em conformidade com a norma europeia Euro 6.d-temp e com a norma chinesa China 6b.

O motor de 3 cilindros PureTech é produzido atualmente nas fábricas da França (Française de Mécanique, em Douvrin, e Trémery, em Moselle) e na China (Xiang Yang).

Além de duplicar a capacidade de produção das fábricas francesas em 2018, as fábricas de Tychy, na Polônia, e de Szentgotthárd, na Hungria, também produzirão o motor PureTech a partir de 2019 e 2020, respectivamente.

Na ocasião, Alain Raposo, vice-presidente Sênior de Sistemas de Tração e Chassis do Groupe PSA, declarou: “Estamos orgulhosos em receber esse prestigioso prêmio pelo quarto ano consecutivo, o que demonstra a competência de nossas equipes de desenvolvimento. Esse motor equipa atualmente a maioria de nossos veículos e tem obtido muito sucesso junto aos nossos clientes. A competitividade e a eficiência de nossa gama de veículos a gasolina, e particularmente do nosso motor de 3 cilindros PureTech, são reconhecidos mundialmente”.

Teste: Peugeot 5008 Griffe Pack, um 3008 de sete lugares

Por | Novidades

Se você gosta do 3008, mas a família é numerosa, o 5008 e sua capacidade para sete ocupantes pode ser a solução

Parece o 3008, mas não é. Ou até é. Vai da sua maneira de encarar: o novo 5008 traz a mesma dianteira que a de seu irmão menor (e muito mais famoso). A decoração da cabine e o pacote de equipamentos também são bem próximos.

Com nomes de batismo diferentes, não há mal algum em encarar o 5008 como uma espécie de 3008 alongado e com capacidade para sete pessoas. A plataforma, aliás, é basicamente a mesma, em versões curta (3008) e alongada (5008).

Com sete lugares, o 5008 é a opção para famílias numerosas (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Isso explica a diferença entre ambos da coluna B para trás, com portas traseiras maiores no 5008 para facilitar o acesso à terceira fileira de bancos – dois, individuais e manualmente escamoteáveis no assoalho do porta-malas.

Mesmo tendo a Peugeot trocado o perfil de minivan das gerações anteriores da dupla por um jeitão de SUV – o segmento mais quente ao redor de todo o planeta –, seria exagero dizer que qualquer um deles é um SUV de raiz.

E aí começa o dilema existencial (e mercadológico) do 5008. Se antes um veículo familiar de sete lugares era sinônimo de minivan, hoje há opções de afamados SUVs com essa configuração, como os coreanos Kia Sorento e Hyundai Santa Fe.

 

Queda abrupta da coluna traseira confere o ar de SUV (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Apesar de a plataforma EMP2 ser compatível com sistemas de tração integral, não há sinal da vinda de um 5008 4×4. Ou seja, 3008 e 5008, por ora, só 4×2.

Para o modelo menor, isso não é um problema, porém para o belo SUV destas imagens é, sim. No segmento onde ele atuará, é pouco provável que o design arrebatador e o interior recheado de tecnologia (além de dois lugares extras) sejam suficientes para fazer frente a rivais bem conhecidos do consumidor, com tração 4×4 e até motor turbodiesel.

Iluminação azul da cabine combina com o painel digital (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Por outro lado, para famílias que buscam um carro grande para aventuras que incluem, no máximo, uma estradinha de terra nos fins de semana, o 5008 é um test-drive obrigatório.

Completo, como o modelo cedido para nosso teste, Griffe Pack, o 5008 sai por R$ 166.490. Aliás, quase como o modelo da foto, pois as rodas serão as mesmas do 3008. Haverá uma versão básica, de R$ 157.490.

O que separa as duas: piloto automático adaptativo, sistema ativo de permanência em faixa, leitor de placas de velocidade, frenagem ativa de segurança, detector de fadiga do motorista, farol alto automático e alerta de ponto cego.

Bancos dianteiros são elétricos (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Bancos centrais com mesinhas (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

E os bancos traseiros escamoteáveis (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Ou seja, o conteúdo do pacote high-tech justifica cada centavo dos R$ 9.000 cobrados por ele.

De opcional livre, apenas as pinturas especiais: R$ 1.790 as sólidas (branca e preta) e a metálica (prata) e R$ 2.790 a perolizada (Branco Nacré) – a Emerald Crystal, o tom esverdeado do modelo fotografado, não tem custo extra.

Muito elogiado quando começou a chegar aos veículos da PSA (Peugeot e Citroën), hoje em dia o motor 1.6 THP perdeu o status de referência em eficiência.

 

Painel digital em tom azul é um dos pontos fortes do SUV (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Capaz de proporcionar um desempenho empolgante ao equipar modelos pequenos como o Peugeot 208 e o Citroën DS3, no 5008, os 165 cv se mostram apenas suficientes para quebrar o tédio ao volante.

Em nossa pista, o SUV acelerou de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos e registrou consumo urbano de 10,4 km/l e rodoviário de 13,8 km/l de gasolina.

Em números, o desempenho parece bom. Mas um Chevrolet Equinox chega aos 100 km/h em 7,5 segundos, com números de retomada entre dois e três segundos melhores que os do concorrente francês.

 

Rodas do modelo avaliado são pré-série. No modelo definitivo, as rodas serão iguais ao do 3008 (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Os pneus 235/50 R19 casam bem com a suspensão de calibragem com evidente priorização do conforto. Nas curvas longas, a inclinação da carroceria é um tanto acentuada, mas os bancos, com bom suporte lateral no assento e no encosto, mantêm o piloto na postura correta.

Na cabine, a mescla de uma vasta lista de equipamentos com um layout de bom gosto deixa a atmosfera agradável. Dois pequenos deslizes de acabamento são notados no painel: o vão grande e assimétrico na união com as portas e o plástico diferente do utilizado na tampa do porta-luvas.

Os pneus 235/50 R19 casam bem com a suspensão de calibragem com evidente priorização do conforto. Nas curvas longas, a inclinação da carroceria é um tanto acentuada, mas os bancos, com bom suporte lateral no assento e no encosto, mantêm o piloto na postura correta.

Na cabine, a mescla de uma vasta lista de equipamentos com um layout de bom gosto deixa a atmosfera agradável. Dois pequenos deslizes de acabamento são notados no painel: o vão grande e assimétrico na união com as portas e o plástico diferente do utilizado na tampa do porta-luvas.

Elementos da grade parecem flutuar (Léo Sposito/Quatro Rodas)

 

Mas é importante frisar: os pontos fortes estão por todos os lados. A iluminação azul nas portas, no console central, na região dos pedais e até no teto solar ornam perfeitamente com o painel digital e a tela da central multimídia.

A modularidade interna – com bancos móveis, rebatíveis e removíveis – é um claro sinal do lado minivan do 5008. A capacidade do porta-malas com dois, cinco e sete bancos armados varia entre 1.940, 780 e 237 litros.

 

 

Fonte: Quatro Rodas