Peugeot 5008 chega ao Brasil em 2018

Por 19 de outubro de 2017Novidades

Além de confirmar o modelo, o presidente mundial da marca anunciou o alinhamento da gama brasileira com a Europa

 

Mesmo diante de um momento difícil no Brasil, onde a crise econômica se soma ao baixo volume de vendas, a Peugeot quer mostrar que não dará as costas ao país. Logo após a chegada do (bem sucedido) 3008 e da mudança de transmissão nos compactos 208 e 2008, a marca já anuncia mais um importante lançamento, o 5008.

Inédito por aqui, o SUV de sete lugares chegará para brigar com Kia Sorento, Hyundai SantaFe e, porque não, com o primo Citroën Grand C4 Picasso.

A confirmação de que o 5008 estreia nas lojas brasileiras da marca em 2018 veio de ninguém menos que o presidente mundial da Peugeot, Jean-Philippe Imparato, em uma entrevista à agência de notícias Reuters. O modelo, inclusive, já roda em testes por aqui há alguns meses.

Apesar de quase igual ao 3008, que virou um SUV, o 5008 ainda guarda aspectos de minivan (Divulgação/Peugeot)

Facilmente confundido com o 3008 em um olhar desatento, o 5008 tem suas particularidades. Seus quase 20 cm a mais no comprimento em relação ao 3008 (no 5008, são 4,64 metros) são notados a partir das portas traseiras, onde a traseira também ganha aspecto mais próximo de uma minivan com a tampa do porta-malas quase reta e o vidro com queda menos angulosa.

A parte plástica no para-choque traseiro também é maior no 5008.

Painel é exatamente o mesmo do 3008, com traços futuristas e muita tecnologia (Divulgação/Peugeot)

A dianteira do SUV grandalhão, porém, é a mesma do irmão menor e repete o recurso da Citroën com as minivans C4 Picasso e Grand C4 Picasso. Assim como por fora, o interior do 5008 também só muda na traseira: dois bancos extras instalados no porta-malas dão a possibilidade de levar até sete ocupantes.

O painel com linhas futuristas, com grande mistura de acabamentos, pontos de iluminação e quadro de instrumentos digital já é conhecido.

5008 tem capacidade para levar até sete ocupantes (Divulgação/Peugeot)

Conhecido também é o conjunto mecânico que o modelo utilizará por aqui: a eficiente combinação entre o motor 1.6 THP (turbo de injeção direta) de 165 cv e 24,5 mkgf e o câmbio automático de seis marchas da Aisin.

Na Europa, além desta opção, ele também pode ser equipado com motor 1.2 turbo (com câmbio automático ou manual) e propulsores turbodiesel, 1.6 e 2.0, com diversos ajustes de potência.

OS GRANDES PLANOS DA PEUGEOT PARA O BRASIL

De acordo com Jean-Philippe Imparato, os planos da francesa são de equiparar a gama de produtos oferecidos no Brasil com a Europa em até cinco anos, sem “cair na tentação” de criar modelos compactos exclusivos para o país.

De lado é mais fácil notar os quase 20 cm de diferença em relação ao 3008 (Divulgação/Peugeot)

Mais do que isso, ele apontou que a marca não está preocupada com volume de vendas no momento. “Volume não é nossa preocupação. Prefiro elevar minha imagem de marca. (…) Paramos de vender a qualquer preço”, completou Imparato.

Um terceiro anúncio foi feito ainda na ocasião: está em estudo a vinda da inédita picape média da Peugeot ao Brasil para concorrer com Chevrolet S10, Toyota Hilux, Ford Ranger e Nissan Frontier.

E O 3008? COMO VAI?

Desde que chegou ao Brasil, em junho, o 3008 vai muito bem para a alegria da marca. As 50 unidades oferecidas em pré-venda foram reservadas duas horas ─ os modelos na cor Metallic Copper, o tom alaranjado abaixo, acabaram em menos de 30 minutos segundo a Peugeot.

Sucesso do 3008 inspirou a Peugeot do Brasil. Cor Metallic Copper é a única gratuita (Divulgação/Peugeot)

Passada a pré-venda, a marca estabeleceu a cota mensal de 250 unidades importadas da França. O número, de acordo com a diretora geral da Peugeot no Brasil, Ana Theresa Borsari, teve que ser elevado para 900 em função da alta demanda. Ana Theresa apontou ainda para a fila de espera pelo SUV, que já chega a quatro meses.

Em versão única, o 3008 parte de R$ 139.990, tendo como única variante de preços a cor escolhida. Enquanto as metálicas preto e prata custam R$ 1.790, o branco perolizado adiciona R$ 2.790 à conta. Curiosamente, a já citada cor Metallic Copper é a única tonalidade gratuita.

 

Fonte: Quatro Rodas

Deixe uma resposta